Polícia diz que calcinhas achadas em obra onde jovem foi concretada eram usadas pelo assassino

Caso ocorreu em São Vicente, no litoral de São Paulo. Pedreiro é investigado por feminicídio e ocultação de cadáver, junto com um autônomo também suspeito pela morte.

O pedreiro que confessou ter estrangulado e concretado o corpo de uma jovem de 25 anos em uma obra em São Vicente, no litoral de São Paulo, alegou que a sacola de calcinhas encontrada no local do crime pertencia a ele, e que gostava de usá-las. A informação foi confirmada pela Polícia Civil. Edmilson Veríssimo da Silva tem 56 anos e é investigado por feminicídio e ocultação de cadáver, junto com o autônomo Jonathas Soares de Santana, de 35 anos, também suspeito pela morte.

A jovem Joice Maria da Glória Rodrigues estava desaparecida há oito dias. Durante investigações, uma equipe da 3ª Delegacia de Homicídios descobriu que ela havia passado pela obra onde o suspeito trabalhava. No depoimento, ele confessou que matou a jovem junto com o outro suspeito, e que colocou o corpo no vão de uma escada, concretando por cima.

Por Redação, com informações de G1.

Comente com Facebook