Forças Armadas tentam evitar intervenção na Venezuela

O cerco de países da OEA (Organização dos Estados Americanos) à Venezuela, com a ameaça de reativar um tratado que pode resultar em uma intervenção militar no país, não altera a disposição das Forças Armadas do Brasil de ficar longe de qualquer conflito com a nação vizinha.

O Brasil votou a favor da convocação de uma reunião para reativar o Tiar (Tratado Interamericano de Assistência Recíproca). Um dos militares do núcleo do governo, no entanto, disse à coluna que o país seguirá trabalhando para evitar a intervenção.

“Nada muda”, afirmou o militar quando questionado sobre a possibilidade de uma escalada na crise com a Venezuela.

A reunião da OEA deve ocorrer paralelamente à da ONU, nesta semana.

Bolsonaro viajará a Nova York em um momento de baixa de Donald Trump, seu principal aliado no cenário internacional.

Por Mônica Bérgamo / Folhapress

Comente com Facebook