VÍDEO: Em tumulto, homem é imobilizado com mata-leão no metrô de SP

Em tumulto, homem é imobilizado com mata-leão no metrô de SP
Homem foi contido por segurança do Metrô de SP com um mata-leão (Foto: TV Globo/Reprodução)

Em um tumulto ocorrido na última quarta-feira (20), um homem de 21 anos foi imobilizado com um mata-leão por dois seguranças no metrô de São Paulo (SP). Ele estava com uma criança em um carrinho de bebê, quando uma passageira filmou o caso.

Os registros mostram o momento em que o homem discute com os agentes, perde o controle e cospe no rosto de um deles. O segurança, então, imobiliza o homem com um mata-leão.

Uma testemunha pedia para que os agentes não matassem o homem, que exclamava: “Minha criança, minha criança”. As imagens mostram quando o bebê começa a chorar durante a confusão.

Na gravação, a mulher fica com o bebê e grita para que os guardas parem a ação, dizendo que o homem vai ficar sem respirar. “Moço, não pisa no pescoço dele assim, ele vai ficar sem respirar”, afirma, no vídeo.

Em nota, o Metrô de São Paulo lamentou o episódio, informou que vai afastar os seguranças para apuração dos fatos e contou que o homem de 21 anos iniciou o tumulto ao tentar impedir uma ação de fiscalização contra o comércio irregular.

Ainda conforme o Metrô, o homem foi levado a Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), órgão de polícia judiciária. Lá, ele prestou depoimento e foi registrado um boletim de ocorrência.

De acordo com a Companhia do Metropolitano de SP, o homem teria agredido funcionários com mordidas e cusparadas, algo confirmado pelo mesmo DP, e que esse seria o motivo de ser imobilizado. O homem confessou ter tentado agredir os seguranças e foi liberado em seguida, segundo o Delpom.

O mata-leão é proibido na Polícia Militar de São Paulo e na Guarda Civil Metropolitana desde o ano passado. Na ocasião, a PM afirmou que a chave cervical foi banida para que a corporação se aperfeiçoe e modernize seus protocolos de atuação.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de g1 e Diário da Manhã

Comente com Facebook