Contran proíbe radar escondido em rodovias e vias urbanas

O Conselho Nacional de Trânsito publicou na última quarta-feira (9), no Diário Oficial da União, uma resolução que altera as regras e os requisitos técnicos para a fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas.

Todas as rodovias, avenidas e ruas do Brasil não poderão mais ter radares escondidos, conforme estabelece o Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

De acordo com a nova lei, a regra é válida para equipamentos portáteis ou fixos instalados a partir de novembro deste ano. E todas as vias monitoradas deverão ter placas indicando com clareza as velocidades máximas permitidas.

Além disso, o órgão também estabelece que as autoridades de trânsito divulgem pela internet quais são os trechos fiscalizados. Conforme o presidente do  Contran e diretor-geral do Denatran, Frederico Carneiro, as mudanças em relação as  radares escondidos têm como principal objetivo reduzir as chances de ocorrerem acidentes.

Entre as novidades também está incluída a proibição do uso de radares sem registrador de imagem e restrições para utilizar radares do tipo fixo redutor, também conhecidos como “lombadas eletrônicas “, que poderão ser instalados apenas em locais considerados críticos, ou seja, em que a redução de velocidade é muito necessária, onde existe a circulação de um volume grande de pedestres, ciclistas e veículos não motorizados.

Nos locais onde houver redução gradual da velocidade a sinalização será obrigatória para elimirar radares instalados em lugares onde existe variação do limite de velocidade. Para se adaptarem às novas regras em relação aos  radares escondidos , os municípios terão até novembro do ano que vem como prazo máximo.

Redação Namidia News, com informações informações:  undefined – iG @ https://carros.ig.com.br

Comente com Facebook