Capitólio: 10 mortos são confirmados após queda do paredão no Lago de Furnas

Na tarde deste domingo(9), os últimos dois corpos da queda do paredão no Lago de Furnas foram encontrados.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou numa coletiva de imprensa hoje. Sete corpos foram encontrados no sábado e outros três hoje, no domingo.

Algumas vítimas já foram identificadas, mas nomes não foram divulgados para mídia. Segundo os bombeiros, não trabalham com a possibilidade de mais desaparecidos, então as buscam por mais vítimas cessaram, mas continuam ainda procurando mais partes de corpos.

O porta-voz do bombeiro disse em entrevista que não há previsão para o fim das buscas no Capitólio, e Minas Gerais decretou três dias de luto em todo estado pelo ocorrido.

Furnas Centrais Elétricas divulgou uma nota sobre o acidente neste domingo:

“FURNAS lamenta profundamente o acidente e verdadeiramente se solidariza com as vítimas e seus familiares. A empresa esclarece que utiliza a água do lago para a geração de energia elétrica, por meio de Contrato de Concessão de Geração de Serviço Público, e que compete à Marinha do Brasil e aos respectivos poderes públicos locais a gestão dos demais usos múltiplos do reservatório, dentre os quais as atividades econômicas de turismo profissional.

FURNAS apoia por meio de iniciativas e projetos socioambientais as 34 prefeituras e suas defesas-civis existentes no entorno do lago, que é um dos maiores lagos artificiais do mundo com mais de 3.500 km de perímetro, mas não tem poderes para desenvolver fiscalização e/ou outorgas de licenças para atividades de turismo e lazer.

FURNAS reforça que o Corpo de Bombeiros, a Marinha do Brasil, Polícia Civil e Federal, bem como a Defesa Civil de Minas Gerais estão conduzindo operações de resgate e apurações sobre o ocorrido em Capitólio.”

Cristiano Geraldo da Silva, prefeito de Capitólio, disse em entrevista neste domingo que nunca teve acidente do tipo no local, então não há estudo geológico sobre os paredões. Ele fechou o turismo aquático da cidade, entradas de cânions e de um local conhecido como Cascatinha.

Balanço divulgado pelos Bombeiros na manhã de hoje mostra que há 50 militares empenhados na operação, também há 4 lanchas e 3 motos aquáticas da Marinha e bombeiros fazendo buscas, e em terra, 7 viaturas também dando apoio.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de g1

Comente com Facebook