Brasil inaugura Centro de Operações Espaciais

Brasil inaugura Centro de Operações Espaciais
(Foto: SGT Bianca/Força Aérea Brasileira)

Nesta terça-feira (23), foi inaugurado, em Brasília, o Centro de Operações Espaciais Principal (Cope), unidade que ficará responsável pelo monitoramento e controle dos satélites brasileiros, especialmente do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). O presidente Jair Bolsonaro e diversas autoridades participaram da inauguração.

O SGDC entrou em órbita em 2017. Assim, ele é o único satélite brasileiro com capacidade de fornecer conexão de internet banda larga de alta velocidade em qualquer parte do território nacional. De uso misto, civil e militar, o satélite também é usado a fim de apoiar atividades das Forças Armadas em projetos estratégicos de defesa nacional.

“A partir de hoje, o Cope coordenará todas as atividades que façam uso de constelações de sistemas espaciais, oferecendo serviços de cunho militar e civil, nas áreas de comunicações, observação, mapeamento de informações, posicionamento e monitoramento espacial, com benefícios diretos e indiretos para usários da comunicação pública e da socidade brasileira”, afirmou o tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermúdez, comandante da Aeronáutica.

Instalação mais moderna do país

O Cope já é considerado a instalação do setor público mais moderna do Brasil. Além disso, conta com sistemas de operação de última geração, capazes de manter seu funcionamento em qualquer situação crítica.

“Todas essas obras e instalações foram concebidas com com nível máximo de segurança e disponibilidade de rede, possuindo todos os sistemas de conectividade, energia, climatização, automação e segurança redundantes”, afirmou o presidente da Telebras, Waldemar Gonçalves Ortunho.

A estatal dá suporte nas políticas de conexão à internet por meio do satélite. Conforme Ortunho, a unidade está prestes a obter a certificação TIER IV. Dessa forma, ela confere o mais alto grau de confiabilidade de operação para sistemas de datacenter. Assim, ela assegura a continuidade dos serviços em praticamente qualquer cenário. 

“Quando a gente olha as necessidades do país, a gente vê tanto que um sinal de satélite, levar informação, quanto controlar nossas fronteiras, melhorar nossa agricultura, nosso meio ambiente, a Marinha com necessidade gigantesca em todo o nosso litoral. Satélites são essenciais para o Brasil. Nós temos aqui uma organização que tem essa capacidade”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

Além disso, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, também destacou o papel do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações na oferta de internet de alta velocidade, especialmente para as áreas de educação e pesquisa. “O SGDC leva informação, conhecimento e segurança de todos os brasileiros. Ele permite ao governo ampliar a capacidade de conexão de internet banda larga para universidades, escolas, hospitais, centros de pesquisa e outros pontos de interesse público”.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Agência Brasil

Comente com Facebook