Xanddy incentiva vacinação contra Covid-19 e comenta verão do Harmonia

O cantor Xanddy deu uma entrevista para o g1 antes de começar sua apresentação no quadro Fuzuê de Verão da rádio Bahia FM (88.7).

Reforçou seu apoio às medidas restritivas baianas em eventos e também falou sobre o verão tradicional que seu grupo sempre realiza na Bahia.

“A gente está acompanhando e é inevitável, não é? Se crescem os números de casos, obviamente precisa haver medidas para a redução. A gente precisa, todos nós, toda a população, todos os setores, ter a consciência de que medidas serão necessárias. São vários setores que sofrem, não é só o entretenimento”, disse o cantor. “Óbvio que a gente entende que nos eventos se concentra o grande público, quase sempre. Eu fico sentido. Na verdade, ninguém queria estar vivendo isso, não só no aspecto do trabalho, como na vida pessoal. Ninguém queria estar vivendo essa tensão de novo, tudo de novo, mas é necessário”, acrescentou.

Quando questionado sobre como o Harmonia ia atuar com tais restrições, o cantor disse que o grupo já estava pensando em shows com formato de público menor.

“No nosso caso, quando a Melhor Segunda foi planejada desde duas últimas edições antes da pandemia, tínhamos uma proposta de ensaio raiz, de retorno à essência de ensaios. E na proposta de ensaios de verão, planejamos o nosso formato reduzido neste ano. Então, até o momento, a gente ainda se encontra dentro do que está sendo autorizado, do que está sendo permitido pelo decreto do governo.”

Quando indagado sobre o carnaval ele respondeu: “Sobre o nosso carnaval, estamos acompanhando e vamos seguir as regras. O que for acontecer, vai acontecer dentro das determinações. O que não puder, não vai acontecer. A gente está, de forma consciente, acompanhando e esperando também essas definições”.

Ele que acabou contraindo covid-19 recentemente, também compartilhou “Peguei a Covid, mas não tive grandes efeitos, sintomas. A pergunta que a pessoa fez, e eu fiz questão de responder, é uma pergunta bem básica, de muita gente que está criando muito folclore com a vacina, teorias. Eu acho que a gente precisa desmistificar essa questão. Como eu disse, a gente tem Deus e esse é incontestável, supremo, a minha confiança máxima está em Deus. Se a gente desacreditar da ciência, a gente vai ficar perdido, todo mundo vai ficar perdido”.

“Muita gente, inclusive, que deixa de tomar vacina, esquece que fica mais vulnerável e corre o risco de infectar outras pessoas, porque não vai ter essa resistência ao vírus. E, se pegar, vai ter um impacto menor no que pode acontecer no organismo, como a gente tem acompanhando, que tem sido essa baixa de óbitos”, acrescentou finalizando sua fala.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de g1

Comente com Facebook