Prodetur investe mais de R$ 400 milhões na Bahia mesmo em meio à pandemia

Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), na Bahia, seguem em andamento mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, contribuindo para melhorar a infraestrutura turística

Com perspectiva de conclusão para o primeiro semestre de 2021, as ações do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), na Bahia, seguem em andamento mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, contribuindo para melhorar a infraestrutura turística e fortalecer a cadeia produtiva/ Ascom Setur

Com perspectiva de conclusão para o primeiro semestre de 2021, as ações do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), na Bahia, seguem em andamento mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, contribuindo para melhorar a infraestrutura turística e fortalecer a cadeia produtiva, a gestão e a promoção do turismo em toda a Baía de Todos-os-Santos (BTS). Executada pela Secretaria do Turismo do Estado da Bahia (Setur-BA) – com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e contrapartida local do Governo do Estado – a iniciativa totaliza US$ 78 milhões, cerca de R$ 400 milhões, em recursos e prevê 13 intervenções estratégicas nesta zona turística. 

Com o bom andamento do programa, a BTS, que é a segunda maior baía do mundo e maior do Brasil, está sendo preparada para se transformar em um dos roteiros de turismo náutico e cultural mais atraentes do planeta, como enfatiza o titular da Setur, Fausto Franco. “Nós temos aqui este imenso patrimônio, que é a Baía de Todos-os-Santos, mas faltava uma infraestrutura adequada para que barcos de várias procedências pudessem circular e atracar com conforto e segurança nos municípios que compõem o seu entorno, contribuindo, desta forma, para movimentar a economia local e criar novos postos de trabalho, gerando, assim, renda”, explicou o secretário.

*O que está sendo feito*

Entre as principais intervenções, destacam-se a requalificação ou construção de marinas, atracadouros e terminais náuticos. De acordo com a Setur, em alguns locais, as ações envolvem, ainda, requalificação de quiosques, construção de centros de comércio, píeres, oficinas e postos de combustíveis para barcos, bem como serviços de requalificação urbanística e paisagística das imediações.

O coordenador-geral do Prodetur Bahia, Jaime Salgado, explica que todas as medidas necessárias foram tomadas para que o trabalho tivesse prosseguimento e a perspectiva de conclusão fosse mantida para o primeiro semestre de 2021. “Há 120 dias, o Prodetur Bahia vem empregando todos os esforços para garantir a segurança dos trabalhadores nos canteiros das obras e, ao mesmo tempo, manter um bom índice na execução dos serviços”, assegura

Os equipamentos estão divididos em três lotes, com duas intervenções separadas: as da Marina da Penha, em Salvador, e uma de cunho cultural – a recuperação e reurbanização do entorno do Museu do Recôncavo Wanderley Pinho, em Candeias.

*Confira, lote por lote, os equipamentos, localidades e status atual das obras*: 

Lote 1 – Os serviços avançam no atracadouro do Museu Wanderley Pinho, estando já concluídas a mobilização do canteiro e dos equipamentos, a demolição da estrutura existente e a limpeza de leito marinho. 

Em fase de execução encontram-se as fundações em estacas metálicas, as sapatas pré-moldadas e os serviços de remoção de estacas existentes. O valor desta intervenção é de R$ 2,67 milhões.

No próprio museu foram concluídos os serviços do canteiro de obras e de arqueologia e a execução das fundações das edificações (guarita e apoio aos funcionários e receptivo náutico). O valor total desta obra é de R$ 27 milhões.  

Na marina de Itaparica o projeto contempla 36 vagas secas, 126 vagas molhadas e um posto de gasolina, com valor total de mais de R$ 11 milhões. Já foram concluídas a mobilização do canteiro de obras e a remoção da infraestrutura (rede de água, elétrica, utilidades) para retirada dos flutuantes. Encontram-se em execução os serviços de recuperação das fachadas, lajes,  ponte fixa e bancos e de remoção de piso.

No terminal turístico de Botelho, em Ilha de Maré, foram concluídas a mobilização do canteiro de obras e a demolição de estrutura do terminal existente. Estão em andamento serviços referentes ao acesso provisório, como a preparação de estacas metálicas para cravação da fundação, a fabricação da passarela e a execução de alvenaria e de estrutura metálica. O valor total é de R$ 3,2 milhões.

No atracadouro e restaurante do Solar do Unhão, em Salvador, foram concluídas a mobilização do canteiro de obras e a demolição das estruturas existentes no restaurante (revestimentos, drywall). Estão em execução a demolição para construção dos banheiros e remoção de pisos. O valor total é de mais de R$ 3,8 milhões.

Lote 2 – Estão previstas no Lote 2, entre outras obras, uma base com 59 vagas secas, 60 vagas molhadas e um posto de gasolina em Salinas da Margarida. Já foram concluídas a mobilização do canteiro de obras, a instalação dos containers, a relocação dos permissionários e a demolição das barracas existentes. 

Encontram-se em execução a instalação das estacas metálicas do píer, a fundação dos quiosques (barracas), a rede de drenagem e esgoto, a remoção de piso existente da praça e a fundação do centro de comércio. O valor total é de mais de R$ 18 milhões.

Com a liberação recente do licenciamento ambiental pelo Inema, foi emitida ordem de serviço para a construção do terminal turístico de Cachoeira (valor total de R$ 3,3 milhões). Para o de Maragojipe (valor total de cerca de R$ 5,4 milhões), é aguardada ainda a conclusão do licenciamento. 

Lote 3 – As obras deste lote incluem base náutica com 18 vagas molhadas e um posto de gasolina em Cacha Prego (Ilha de Itaparica), com valor de R$ 12 milhões; terminais turísticos de Bom Jesus dos Passos (valor de R$ 2,4 milhões) e Jaguaripe (cerca de R$ 1,4 milhão) e atracadouro de Mutá (R$ 1,5 milhão). Ordem de serviço para o início dos trabalhos em Cacha Pregos e Mutá já foi emitida. Em Bom Jesus dos Passos e Jaguaripe, depende ainda de trâmites. 

Além destas obras há a da Marina da Penha, em Itapagipe, Salvador, para a qual o Prodetur prevê 96 vagas secas e 48 molhadas. Os principais serviços concluídos foram a mobilização do canteiro de obras, as demolições, o estoque de material rochoso e de material de aterro. Estão sendo executados a cravação de estacas metálicas (fundação do Prédio 01), os serviços de aterro e o enrocamento. O valor total é de mais de R$ 22 milhões.

No âmbito do Prodetur Nacional Bahia, também está em execução uma série de ações que visam à qualificação dos serviços e da gestão do turismo e fortalecimento da cadeia produtiva, bem como fomento ao empreendedorismo e a promoção do turismo na Baía de Todos-os-Santos. 

Ascom / Setur

Comente com Facebook