Problema mecânico no rebocador deixa ambulância com gestante e bebê de Belmonte presa em balsa

Balsa parada depois de problema mecânico

No último domingo (21), dois pacientes de Belmonte ficaram presos por cerca 40 minutos na balsa que faz a travessia do Rio João Tiba, entre o distrito de Santo André e a sede do município de Santa Cruz Cabrália.

Os pacientes em questão eram um bebê recém-nascido precisando de UTI neonatal e uma gestante em trabalho de parto. Ambos estavam em uma ambulância que estava sendo transportada pela embarcação e ficou parada no meio do rio.

A causa do problema foi um problema mecânico no rebocador que movimenta a balsa. Assim, os tripulantes precisaram esperar outro rebocador, um que estava embarcando passageiros do lado do distrito de Santo André.

Em meio à situação caótica, a ambulância ligou a sirene a fim de chamar a atenção dos funcionários da embarcação. Todos notaram o desespero dos funcionários enquanto esperavam o outro rebocador, que chegou depois de 30 minutos.

Além disso, durante a operação, a balsa colidiu com embarcações que estavam atracadas no porto fluvial. Entretanto, o bebê recém-nascido e a gestante chegaram ao Hospital Luís Eduardo Magalhães e estão bem.

Os belmontenses, incluindo familiares dos pacientes e passageiros, se revoltaram com a situação. De acordo com os moradores do município, eles são obrigados a pagar tarifas de turistas para fazer a travessia. Assim, o problema existe por conta de um contrato de concessão firmado com Santa Cruz Cabrália, que não considera as pessoas de Belmonte como moradores nativos da região.

Da Redação Namidia News

Comente com Facebook