Governador se reúne com comitiva da PM e das Associações de Praças

Um documento com sugestões para a modernização da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), elaborado por uma comissão formada por integrantes de diversas associações de oficiais e praças da PM, entre ela a APPM-BA, secretarias de Estado e órgãos públicos, como a Procuradoria Geral (PGE), foi entregue ao governador Jaques Wagner nesta terça-feira (7) durante reunião com os representantes de cada uma das instituições. Para o chefe do Executivo baiano, o documento é o primeiro passo para a melhoria e modernização da PM. “Agora eu preciso de tempo para analisar o documento, com a participação das nossas secretarias, e transformá-lo em um projeto de lei que será encaminhado à Assembleia Legislativa. Porém o mais importante deste trabalho foi quebrar o tabu e os preconceitos que existiam para a negociação entre as partes envolvidas”, disse.

Uma reunião realizada, na tarde de terça-feira (7), entre o governador do Estado, Jaques Wagner (PT) e uma comitiva que representou a Polícia Militar da Bahia significou o primeiro passo para um acerto de contas entre as partes. A apresentação de proposta salarial e plano de carreria estão entre os principais pontos discutidos na reunião. “Na próxima terça as associações irão se reunir para emitir uma nota pública na qual estas proprostas estarão descritas”, revelou.
Compartilhando da mesma ideia, o deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) acredita que caso o projeto chegue na Assembleia “a expectativa é muito boa. A ansiedade é com relação ao que é que o governador irá acatar e, sem dúvida, plano de carreira em termos de mudança de critérios da promoção e aceleração das promoções está entre a principal proposta discutida”, afirmou.

Mas, quando a reportagem resgatou a memória do parlamentar com relação à derrota da categoria na Alba, os deputados e o presidente da Casa, Marcelo Nilo, foram alvos de crítica por parte do político. “Foi um projeto de minha autoria (referindo-se ao aumento de salários e efetivo da categoria) e houve uma votação empatada. O painel eletrônico indicou 24 a 24. Empatou. Aí, o presidente Marcelo Nilo deu o voto de minerva contrário aos policiais. Foi a primeira vez que isso aconteceu”, criticou, já explicando a ação do colega. “Ele (Nilo) quis agradar o governador. É puxa-saco do governador”, disparou.

Para o parlamentar, a atitude foi uma resposta aos votos apresentados, já que a maioria dos deputados que votaram contra são petistas. “Nilo puxou o saco pra ter o apoio do governador e conseguiu. Este é um ano eleitoral, último do governo Wagner e a categoria espera que não tenhamos a necessidade desse puxa-saquismo”, mandou o recado.

A Polícia Militar faz questão de não esquecer os deputados estaduais que votaram contra o aumento do salário dos PMs e aumento do efetivo. Relembre com a lista abaixo:

Aderbal Caldas (PP)
Adolfo Menezes (PRP)
Álvaro Gomes (PCdoB)
Ângelo Coronel (PP)
Bira Corôa (PT)
Edson Pimenta (PCdoB)
Emério Resedá (PDT)
Euclides Fernandes (PDT)
Getúlio Ubiratan (PMN)
Isaac Cunha (PT)
J. Carlos (PT)
Javier Alfaya (PCdoB)
João Bonfim (PDT)
Jurandy Oliveira (PRP)
Luiz Argôlo (PP)
Maria Luiza Laudano (PTdoB)
Nelson Leal (PSL)
Neusa Cadore (PT)
Paulo Rangel (PT)
Roberto Carlos (PDT)
Roberto Muniz (PP)
Valmir Assunção (PT)
Waldenor Pereira (PT)
Zé Neto (PT)

“A expectativa é muito grande por parte dos poiciais. A frustração desta expectativa pode ser perigoso para a Bahia”, anuncia Capitão Tadeu.

 

REUNIÃO COM WAGNER E ASSOCIAÇÕES

Comente com Facebook