Câmara fará sessão fechada após tumulto e ‘ovadas’ contra presidente da Casa

A próxima sessão da Câmara de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães, no Extremo Oeste, deve ocorrer sem público e com reforço de policiamento. A data ficou marcada para a próxima terça-feira (17). Na ocasião, os legisladores devem escolher a nova mesa-diretora da Casa, com mandado entre 2023-2024. A população só poderá acompanhar o pleito pela internet.

Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente da Câmara da cidade, Fernando Fernandes (UB), disse que a medida que torna a sessão privativa aos edis visa conter a violência. Segundo ele, as ações da última terça-feira (10) (veja aqui) foram motivadas pelo grupo da base do prefeito Junior Marabá (UB), de quem Fernandes já não é mais aliado.

“Na realidade, esse vandalismo foi causado pelo grupo da base do prefeito. Como eles não têm maioria na Casa foram lá para tumultuar a sessão. E a gente ficou surpreso que o público que estava ali tudo era de servidor com cargo comissionado”, declarou.

Fernandes disse ainda que um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia local para apurar as ações. No tumulto, equipamentos como telefones, televisores e computadores foram danificados. A internet ainda foi cortada. Há relato também de que um vereador teria soltado uma bomba em um dos banheiros da Câmara, mas o presidente disse que o acusado ainda não foi descoberto.

Até o momento não há estimativa do prejuízo causado. “Deixei o jurídico da Câmara para fazer esse trabalho”, acrescentou o presidente. As animosidades entre situação e oposição na Câmara de Luís Eduardo Magalhães têm piorado nos últimos dias.

Além da antecipação do pleito para escolha do novo presidente da Casa, há duas semanas uma comissão parlamentar de inquérito foi aberta para apurar possíveis superfaturamentos na compra de containeres para escolas do município.

Fonte: Da Redação NamidiaNews com informações de BahiaNoticias